Notícias

Notícias (43)

Entrevista realizada com o pesquisador Dr. Wolfgang J. Junk, líder científico do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Áreas Úmidas (INAU) e professor da UFMT, publicado na Coluna Corredor Azul, espaço da Wetlands International Brasil no site de notícias Campo Grande News.

Ele fala sobre a importância de manter as áreas úmidas conservadas, em especial o Pantanal, já que atuam na manutenção do ciclo hidrológico, oferta de água nos diferentes habitats, contenção de gás carbônico (combate ao efeito estufa) e controle do clima.
"Falta de água será no futuro uma ameaça para grande parte da humanidade. Mantê-la na paisagem é indispensável e áreas úmidas são os sistemas naturais mais eficientes em estocar e purificar água. A eliminação delas, em grande escala, iria desequilibrar o ciclo hidrológico e causar sérios danos econômicos, ecológicos e sociais", afirma Junk.
Leia o artigo completo através do link:

Fonte:https://www.campograndenews.com.br/corredor-azul/pantanal-a-margem-da-lei?fbclid=IwAR0er9LbmBJpMIGye-ZU68hpvclyuOXVDqUsNpgvwAOmlsHnvFMmUyb8yVY

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Áreas Úmidas (INCT-INAU), e o Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP), promovem de 02 a 07 de fevereiro de 2021, no piso G1 do Shopping Estação Cuiabá, uma exposição fotográfica que retrata a beleza da biodiversidade das áreas úmidas de Mato Grosso. São imagens capturadas durante os mais de 10 anos de trabalho de campo do fotógrafo e pesquisador associado do INAU-CPP, Abílio Moraes.   A exposição celebra o “Dia Mundial das Áreas Úmidas”, comemorado em 02 de fevereiro. Vale a pena conferir!

Considerado um dos maiores estudiosos de AUs no âmbito mundial, o notável ecólogo, Dr. B. Gopal nos deixou no último dia 05 de janeiro de 2021. Com uma trajetória de mais de quatro décadas, estudou as AUs e suas populações, abordando diversos temas, como questões relacionadas à classificação e inventário de áreas úmidas, ecologia, captação e interações hidrológicas, enfatizando sempre a importância da gestão pelas comunidades locais, aspectos socioeconômicos e mudanças climáticas. Foi presidente do Instituto Nacional de Ecologia e Fundador-Coordenador do Centro para Águas Interiores no Sul da Ásia. Foi Professor de Ciências Ambientais da Universidade Jawaharlal Nehru, Nova Delhi, aposentando-se em 2009. O Prof. Gopal integrou o Comitê Cientifico Internacional de Avaliação do INCT-INAU desde 2009, oportunidade em que tivemos o privilégio de contar com o seu senso crítico aguçado e expertise científica enriquecendo os debates durante as reuniões do Comitê Científico com a equipe do INAU. No âmbito do CPP-INAU tivemos o privilégio de trabalhar conjuntamente para a criação de uma rede internacional de pesquisadores do sudoeste da Ásia, incluindo também a África do Sul e o Brasil.

A conceituada revista científica PLOS BIOLOGY divulgou em artigo publicado em 16/10/2020 a lista dos cem mil cientistas mais influentes no mundo, em todas as áreas do saber. Foram consideradas as publicações e os seus impactos (medidos por diversos índices) ao longo de toda a carreira dos cientistas utilizando-se a base de dados Scopus®,em um universo que contém mais de setenta milhões de registros.

Dentre os primeiros cem mil cientistas selecionados, duzentos e cinquenta atuam em instituições brasileiras. O líder científico do INCT-Áreas Úmidas (INAU), Prof. Dr W. J. Junk, está no primeiro tercil da lista dos cem mil, ou seja, entre os 30% mais influentes no mundo, segundo a avaliação. Se considerarmos somente os duzentos e cinquenta cientistas atuando em instituições brasileiras que constam da lista, o Prof. Junk ocupa a 41ª posição, estando entre os 16% mais influentes.

Essa é uma ótima notícia para a UFMT - instituição sede do INCT-Áreas Úmidas (INAU) - que no dia 10 de dezembro p.f. estará comemorando o seu jubileu de ouro e que há muito vem se dedicando a estudos sobre a conservação e o uso sustentável de áreas úmidas (AUs), com destaque ao Pantanal. Dentre as relevantes contribuições recentes do Prof. Junk e colaboradores, no âmbito do INAU/UFMT, destacamos o “Sistema de Classificação e Delineamento das Áreas Úmidas e de seusMacrohabitats” (http://cppantanal.org.br//2018/images/publicacoes/E-book-Classificacao-e-Delineamento-das-AUs-min.pdf - acesso em 19/11/2020), importante ferramenta para a subsidiar a gestão de AUs, que foi recomendada pelo Conselho Nacional de Zonas Úmidas do Ministério do Meio Ambiente (Portaria n.º 445/2018), tendo sido adotado, com modificações, também na Colômbia.

O trabalho para a recuperação da tragédia ambiental ocorrida neste ano no Pantanal será longo, mas é bom sabermos que temos entre nós cientistas de alto gabarito que em muito poderão auxiliar.

Prof. Dr Paulo Teixeira de Sousa Jr
Coordenador INCT-Áreas Úmidas (INAU)
Coordenador Centro de Pesquisas do Pantanal

Sexta, 30 Outubro 2020 09:27

Queimadas no Pantanal

Escrito por

De que maneira o uso do Sensoriamento Remoto é capaz de mapear, avaliar e monitorar a restauração da cobertura vegetal em áreas queimadas e degradadas?

As queimadas intensificaram ainda mais a crise no setor do turismo que já vinha amargando perdas financeiras com a pandemia.

Restrito

Facebook

Contato

Centro de Pesquisa do Pantanal

Rua Dois, N.º 497, Sala 02, Bairro Boa Esperança

Cuiabá - MT

Telefones: + 55 (65)3627-1887

Email: gestao.cpp@gmail.com

Sobre nós

O Centro de Pesquisa do Pantanal – CPP – é uma organização independente, com enfoque humanista e sem fins lucrativos. Seu propósito maior é a promoção da cidadania, que no século XXI, tem na questão ambiental seu ponto chave.

Funcionando em estrutura de rede, o CPP está fortemente calcado em parcerias governamentais e não governamentais dos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, contando também com o apoio de setores do governo federal.